5 Bases doutrinárias que justificam mudanças nos procedimentos da Igreja

Muitos membros da Igreja estão maravilhados com as mudanças anunciadas na Igreja nos últimos meses. Elas incluem a mudança nos quóruns do sacerdócio, a substituição do programa de Mestres Familiares e Professoras visitantes pela Ministração, as alterações na apresentação da Investidura no Templo, a possibilidade de mulheres e crianças servirem como testemunhas de batismos e ordenanças no Templo, a diminuição no horário de reuniões, um novo programa para crianças e jovens, o programa de estudo Vem e Segue-me, etc.

Contudo, as mudanças não são algo novo na Igreja. De fato, elas tem ocorrido constantemente na Igreja desde o inicio. Por exemplo, sob a supervisão do Presidente Thomas S. Monson, que antecedeu o nosso atual Presidente, várias importantes mudanças aconteceram. Não seria incorreto concluir que mudança é algo constante na Igreja. Essas mudanças incluem adaptações nos procedimentos, politicas e formas de ministrar. Elas se fazem necessárias devido ao amor de Deus a seus filhos, as necessidades variantes de cada época e povo, o padrão de revelação “linha sobre linha” que completa e complementa a Restauração do Evangelho e prepara o mundo para Segunda Vinda de Cristo.

Vários líderes, inclusive nosso amado profeta, o Presidente Russell M. Nelson, explicaram o motivo de tais mudanças – e demostraram a base doutrinária que tornam essas mudanças possíveis. Eis algumas citações que nos ajudam a compreender o que esta se desenrolando na Igreja:

1- Amor de Deus

O amor de Deus é a verdadeira razão pela qual temos a Igreja, o Evangelho, os convênios e tudo mais. Como ensina nosso Manual de Instruções:

“Deus revelou um padrão de progresso espiritual para as pessoas e famílias por meio de ordenanças, ensino, programas e atividades centralizados no lar e apoiados pela Igreja. As organizações e os programas da Igreja existem para abençoar as pessoas e as famílias, e não são um fim em si mesmos.” (Manual 2: Administração da Igreja, 2010, 1.4)

Tudo na Igreja é para nos voltarmos a Cristo e para o amor do Pai Celestial. Ele deseja que nos aperfeiçoemos e nos voltemos a Ele.

2- Deus não muda mas trabalha com os homens segundo suas necessidades e fé

Deus não muda. O Élder L. Whitney Clayton, da Presidência dos Setenta, ensinou:

“O fato de essas responsabilidades essenciais dos membros [da Igreja] terem permanecido constantes por todas as dispensações é um testemunho poderoso que confirma que Ele é um Deus que não muda e que ama todos os Seus filhos independentemente de onde e quando eles tenham vivido.”

Apesar da imutabilidade de Deus, sua constância no amor, Ele molda “suas misericórdias às condições dos filhos dos homens” (D&C 46:15).

O Elder David A. Bednar, do Quórum dos Doze apóstolos disse:

“Vivemos em um período notável e de muita revelação na Igreja restaurada de Jesus Cristo. As mudanças históricas anunciadas (…) têm apenas um propósito principal: fortalecer a fé no Pai Celestial e no Seu plano, e em Seu Filho Jesus Cristo e Sua Expiação. A programação das reuniões dominicais não foi simplesmente encurtada. Na verdade, agora temos mais oportunidades e responsabilidades como indivíduos e famílias de usar nosso tempo para consolidar o Dia do Senhor como um deleite, tanto no lar como na igreja.

Em abril passado, não houve uma mera mudança na estrutura da organização dos quóruns do sacerdócio. Na verdade, ênfase e força foram dadas para que houvesse uma maneira mais elevada e sagrada de ministrar aos nossos irmãos e irmãs.” (“Congregar em Cristo todas as coisas”, Conferência Geral outubro de 2018)

Para fortalecer a nossa fé, Deus faz alterações em Seu Reino, inspirando novos procedimentos e adaptando sua obra. A verdade é que Ele supervisiona e dirige os assuntos de Seu Igreja. O Presidente Henry B. Eyring disse:

“É preciso ter fé para acreditar que o Senhor ressuscitado cuida dos detalhes diários de Seu reino. É preciso ter fé para acreditar que Ele chama pessoas imperfeitas para cargos de confiança. É preciso ter fé para acreditar que Ele conhece perfeitamente as pessoas a quem Ele chama, tanto sua capacidade como seu potencial e, assim, não comete erros em Seus chamados.” (“O Senhor dirige Sua Igreja”, Conferência Geral outubro de 2017)

3- A restauração está em andamento

Nosso vigoroso profeta certa vez disse:

“Somos testemunhas de um processo de restauração (…) Se você acha que a Igreja foi totalmente restaurada, você está vendo apenas o começo. Há muito mais por vir. Tomem as vossas vitaminas. Descansem um pouco. Vai ser emocionante”. (Russell M. Nelson, em “Latter-day Saint Prophet, Wife and Apostle Share Insights of Global Ministry,” (Profeta, esposa e Apóstolo Santos dos Últimos Dias, Partilham Sentimentos do Ministério Global) Sala de Imprensa, 30 de outubro de 2018, newsroom.ChurchofJesusChrist.org.)

O Elder David A Bednar disse:

“Oro para que reconheçamos a obra do Senhor como uma grande obra em todo o mundo, que está se tornando cada vez mais centralizada no lar e apoiada pela Igreja. Sei que o Senhor está revelando e ainda “revelará muitas coisas grandiosas e importantes relativas ao reino de Deus”, e testifico isso.” (“Congregar em Cristo todas as coisas”, Conferência Geral outubro de 2018)

4- Novos ajustes até a Segunda Vinda

O mundo esta sendo preparado para Segunda Vinda de Cristo. A segunda Vinda é um dos assuntos mais citados pelo Profeta.

O Elder Quentin L. Cook, do quórum dos Doze apóstolos, ensinou:

“As condições do mundo exigem cada vez mais um aprofundamento da conversão individual e o fortalecimento da fé no Pai Celestial, em Jesus Cristo e Sua Expiação. O Senhor nos preparou, linha sobre linha, para os tempos trabalhosos que agora enfrentamos.” (“Uma conversão profunda e duradoura ao Pai Celestial e ao Senhor Jesus Cristo”, Conferência Geral outubro de 2018)

As revelações linhas sobre linhas nos ajudam na nossa preparação – e na preparação de outros – para Vinda de Cristo. O Presidente Nelson disse:

“Juntos podemos fazer tudo o que nosso Pai Celestial precisa que façamos para preparar o mundo para a Segunda Vinda de Seu Filho Amado. Jesus é o Cristo. Esta é Sua Igreja. Presto testemunho disso.” (“A participação das irmãs na coligação de Israel”, Conferência Geral outubro de 2018)

5- Centralizar o evangelho no lar

Umas das razões mais mencionadas para as mudanças aceleradas que vemos é a solidificação do lar. O Elder David A. Bednar disse:

“Os programas e as atividades de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias estão se tornando cada vez mais centralizados no lar e apoiados pela Igreja, o que se evidencia pela série de ajustes anunciados em conferências gerais recentes.” (“Preparados para obter todas as coisas necessárias”, Conferência Geral abril de 2019)

Uma carta da Primeira Presidência, explicando a diminuição de três para duas horas de reuniões dominicais, diz:

“Por muitos anos, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias vem trabalhando em um plano centralizado no lar e apoiado pela Igreja para proporcionar o aprendizado da doutrina, fortalecer a fé e promover uma sincera adoração pessoal por parte dos membros. Hoje, anunciamos um passo importante para alcançarmos um novo equilíbrio entre a instrução do evangelho no lar e na Igreja.

A partir de janeiro de 2019, a programação de domingo que será seguida pela Igreja constituirá de uma reunião sacramental de 60 minutos todos os domingos e, após uma transição de 10 minutos, um período de aula de 50 minutos. (…)

Além disso, incentivamos indivíduos e famílias a realizar as noites familiares e a estudar o evangelho no lar aos domingos — ou em outras ocasiões escolhidas pelos indivíduos e pelas famílias. Um novo recurso, Vem, e Segue-Me — Estudo Pessoal e Familiar, fornece sugestões para o estudo pessoal das escrituras, para o estudo das escrituras em família e para a noite familiar.” (Carta da Primeira Presidência, 6 de outubro de 2018)

Conclusão

Assim, Deus tem guiado seus profetas para nos ajudar a preparar a nossa vida, o nosso lar e o mundo para a Segunda Vinda de Cristo. Todas as adaptações, mudanças e alterações fazem parte de uma grande obra de nos levar para mais perto de Deus. Não precisamos nos maravilhar ou nos assombrar, mas podemos nos regojizar e trabalhar na vinha com afinco, certos de que Deus guia sua Igreja. O Profeta testificou:

“Nosso Salvador e Redentor, Jesus Cristo, realizará algumas de Suas obras mais poderosas no período entre agora e quando Ele vier novamente. Veremos indicações milagrosas de que Deus, o Pai, e Seu Filho Jesus Cristo presidem esta Igreja com majestade e glória. Mas, nos dias que estão por vir, não será possível sobreviver espiritualmente sem a orientação, a direção, o consolo e a influência constante do Espírito Santo.” (“Revelação para a Igreja, revelação para nossa vida”, Conferência Geral abril de 2018)

O post 5 Bases doutrinárias que justificam mudanças nos procedimentos da Igreja apareceu primeiro em Portal SUD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *