5 coisas sobre adoção que todo membro da Igreja deve entender

Para Tarrin Philpott, anos de “infertilidade inexplicável” diagnosticada levaram a ela e seu marido, Tyrell, para a adoção. E foi uma mudança de estratégia e de coração.

“Adoção é emocionante”, diz Philpott. “Uma grande mudança tem que acontecer. Em vez de gravidez e nascimento, sua mentalidade muda de uma criança que compartilha seu DNA para uma criança que vem de uma maneira que nunca tinha sido considerada anteriormente. Eu tive que desistir da família que eu tinha imaginado toda a minha vida (uma grande família, filhos que se pareciam comigo) e aceitar a nova visão para a minha família. Eu senti que Tyrell fez a mudança de modo fácil, mas eu estava emocionalmente abalado com tudo. Foi difícil fazer escolhas sobre etnia e saúde em nosso perfil de adoção. Em última análise, deixamos muitas dessas decisões para o Pai Celestial, sabendo que não estávamos procurando por nenhum bebê, estávamos procurando o nosso bebê — o bebê significava muito para nós. E ele nos ajudaria a guiá-lo ou guiá-la”.

O Pai Celestial de fato guiou dois bebês para o casal Philpott por meio do milagre da adoção — McKinlee e Tatum. Desde então, eles adicionaram gêmeos à sua família por meio do milagre da fertilização in vitro e uma doce menina que veio de surpresa naturalmente. Sua infertilidade inexplicável tornou-se alegria inexplicável.

A mãe adotiva Terra Cooper abraça a mãe biológica de seu filho. Foto gentilmente cedida por Brittany Cascio

Para os membros da Igreja envolvidos na adoção, como o casal Philpott, às vezes mal-entendidos surgem que podem ser facilmente evitados se os membros da Igreja soubessem um pouco mais sobre suas circunstâncias, emoções e sensibilidades. Aqui estão alguns fatos que vão nos ajudar a entender a adoção um pouco melhor:

1. Por que os casais decidem adotar

Como em todas as decisões importantes da vida, esses casais se voltaram para o Senhor. Eles oraram muito para tomar a decisão não a tomaram levianamente. A adoção está longe de ser uma “solução fácil”. Muitos casais ficam com o coração partido e com a conta bancária no vermelho ao buscar essa opção, mas no final, tudo vale a pena.

2. Como a adoção geralmente afeta os pais biológicos

Ao planejar a colocação de uma criança para adoção, os pais biológicos geralmente passam por uma autoavaliação completa da vida deles, diz.

Eles pensam profundamente sobre o que querem para o seu filho. Eles percebem muitas coisas sobre si mesmos, tais como a sua prontidão para a responsabilidade, relacionamentos, emprego, e assim por diante. Eles oram mais do que nunca. Eles passam a sentir um amor mais forte do que eles jamais sentiram e estão dispostos a sacrificar para o benefício da criança — mesmo que lhes traga tristeza e dor. O coração deles se enchem de amor pela criança e pelos pais adotivos. Seu sacrifício não pode ser descrito em palavras. Sei que o Senhor os abençoará pelo que passam.

3. Como o processo de adoção geralmente afeta os pais adotivos

Os pais adotivo começam a fazer uma análise profunda de si mesmos quando são entrevistados e compartilham informações sobre o seu casamento, suas finanças, metas, experiências, seus sentimentos sobre ter uma criança não biologicamente relacionada com eles, etc. Isso os faz querer ser ainda melhor como casal e família. Eles aumentam o amor pelos pais biológicos da criança, e o coração deles muda para sempre para o bem.

A mãe adotiva Terra Cooper abraça a mãe biológica de seu filho. Cortesia de Brittany Cascio

4. Como evitar comentários insensíveis sobre adoção

Se você conhece alguém que esteve envolvido em uma adoção, lembre-se de ser cuidadoso sobre o que você diz.

“A verdadeira mãe do bebê”…  Isto implica que a mãe adotiva não é a verdadeira mãe do bebê. O termo correto é mãe biológica ou genitora.

“Ela desistiu do bebê e deu para adoção.” O termo “desistiu” tem uma conotação negativa para algo que é na verdade um ato de amor. Em vez disso, diga: “ela colocou o bebê para adoção”.

“Que bom para você que adotou! Acho que eu jamais conseguiria amar o filho de outra pessoa como amo meus próprios filhos.” Isto implica que a criança adotada não será filho deles ou que será mais difícil amá-la. Depois de dizer “Que bom que você adotou” não precisa dizer mais nada.

“Quanto seu bebê custou?” Eles não acharam o bebê em um site na Internet. Se você está tentando saber como funcionam as finanças de uma adoção, pergunte aos casais: “quanto custa todo o processo da adoção?”

5. Como nós, como cultura geral, podemos ser mais favoráveis à adoção

Um casal com quem trabalhei — quando anunciaram que estavam adotando — ouviu algumas pessoas dizendo: “Oh, eu sinto muito!”, diz Keven R. Downs, assistente social clínico licenciado pela Heritage School, um centro de tratamento Residencial em Provo, Utah. “Eles ficavam dizendo que sentiam muito, pois presumiam que eles tinham problemas de infertilidade, e os espectadores estavam agindo como se fosse uma coisa de pouca importância adotar. Não é não! Os pais que adotam ficam tão animados quanto os  pais que dão à luz a criança. E depois de ouvir histórias horríveis como esta, fiquei pensando que não comemoramos a adoção o suficiente. Vamos ser mais conscientes. Vamos celebrar com eles!”

Fonte: LDS Living

Relacionado:

Como preparar sua família para o selamento no templo após uma adoção 

O post 5 coisas sobre adoção que todo membro da Igreja deve entender apareceu primeiro em Portal SUD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *