A mais perigosa tentação que nossa juventude enfrenta

Imagine seus filhos pequenos, lindos e felizes. Você está vendo eles crescerem e se desenvolverem, ano após ano e deseja que o tempo não passe tão rápido. “Pare de crescer…” é algo que você provavelmente já disse para os seus filhos, em algum momento de suas infâncias.

Os anos passam e você vê aquela criança inocente e questionadora aprender coisas novas. Você sabe que eles serão expostos ao que é imundo em suas vidas.

Mas agora, você vê a luz em seus olhos e a pureza em seus espíritos, e você espera que de alguma maneira milagrosa, eles evitarão a tempestade de um perigoso mundo secular que está indo ao encontro a eles.

Então, algumas vezes proativa outras reativamente, nós imploramos para que eles evitem pornografia, para que tenham respeito por seus próprios corpos e pelo corpo de outras pessoas, para que se afastem do álcool e das drogas, para que não aceitem cigarros eletrônicos, para que mantenha o padrão de vestimenta, para que mantenham uma linguagem limpa, e para que aprendam uma boa e forte ética de trabalho.

Imploramos para que eles encontrem alegria no evangelho, para que estejam envolvidos em atividades saudáveis, para que respeitem os adultos, para que leiam suas escrituras, e para que ouçam boas músicas.

Nós pedimos para que eles saiam de seus celulares, para que não invejem a vida de outras pessoas, e para que não se preocupem com o que os outros vão pensar deles. E esperamos que isso seja o suficiente.

Sabemos por experiência própria o quão reais e sérias essas tentações serão, para qualquer criança em nossos dias.

Mas tristemente, muitos pais terminam se perguntando… “O que aconteceu de errado com o Pedrinho?”

“Aonde erramos?”

“Aonde ele errou?”

Apontamos o nosso dedo para muitas coisas… mas muitas vezes negligenciamos o catalizador responsável por drenar a luz da alma de nossos filhos:

Os amigos deles.

Nenhuma daquelas armadilhas ou tentações mencionadas anteriormente, pode substituir a monumental decisão de escolhermos nossos amigos.

Para mim, quase todas as coisas a que fui exposto em minha juventude e que não eram tão boas, vieram por meio de amigos. E se você pensar no seu passado, você provavelmente chegará nessa mesma conclusão.

Demorou 20 anos para que eu compreendesse de verdade, a importância de uma única frase que saiu da boca do patriarca da minha estaca, ao ele pronunciar uma benção sobre a minha cabeça, quando eu tinha somente 20 anos de idade e estava tentando arrumar a minha vida para servir uma missão.

“Agora Gregory, tenha cuidado…” aquele sábio homem me disse. “Escolha seus amigos com sabedoria.”

Nos 20 anos que se passaram desde aquele dia, tenho tido a oportunidade de ver crianças crescerem e passarem pelo ciclo da infância para a vida adulta. Algumas delas se saíram muito bem. Outras estão em um mundo de tristeza e sofrimento.

O denominador comum universal que ditou o curso da vida delas veio através das pessoas que elas escolheram para se socializar. Um grupo de amigos, os amigos do time da escola, um namorado ou namorada.

A escolha de amizades sempre foi o precursor para as consequências que se seguiram. Boas e ruins.

Sempre fui ensinado a ser um líder e não um seguidor.

Mas não interessa o quão líder você é, o quão espiritual você pensa que é, o quão firme em suas crenças você é… ninguém, mas ninguém é forte o suficiente para resistir as influências diárias das pessoas com quem mais convivemos.

Mas, você pode dizer “Cristo estava sempre com os piores pecadores.” Isso não é verdade. Cristo amava os pecadores e ele certamente os ensinou e ministrou.

Mas, se você pensa que ele saia noite após noite, com Barrabás e seus outros amigos para algum barzinho na Judéia, esperando que ele pudesse ser um “bom exemplo” para eles, você está completamente enganado.

Não temos que evitar as pessoas que não têm os mesmos valores que nós, mas precisamos evitar interações repetitivas com essas pessoas, se elas não escolhem o que é certo.

Não estou aqui para julgar ninguém. Mas de fato, existem algumas coisas nesse mundo que devem ser evitadas como se fossem a praga.

“Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ele; Porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que o encontrem.” Mateus 7:13-14

Pode apostar que muito poucas pessoas entraram pelo caminho da destruição sozinhos, e você também pode ter certeza que somente algumas pessoas encontraram o portão estreito e apertado sozinhas.

Também é provável que as pessoas que Leí viu em seu sonho e que iam em direção ao grande e espaçoso edifício, tivessem sido influenciadas por seus “amigos” que acenaram para que eles se arriscassem a atravessar a névoa escura, para se juntarem a eles e a toda aquela pseudo glória, felicidade e diversão.

Por outro lado, é provável que Leí tivesse visto as pessoas juntando os braços e puxando umas às outras em direção a barra de ferro, até que elas pudessem segurar na barra sozinhas.

A verdade é que geralmente seguimos na mesma direção que nossos amigos mais próximos seguem. Quase como se fosse uma regra universal, somos a somatória das 5 pessoas mais próximas de nós.

Sabemos que pornografia, drogas e todas aquelas outras coisas são perigosas. E são mesmo. E elas podem nos arrastar para os mais profundos sentimentos de sofrimento e culpa.

Mas não nos afetariam de nenhuma maneira se não tivéssemos sido exposto a um primeiro contato ou se as pessoas com quem nos relacionamos, também evitam esse tipo de coisa. Os amigos que escolhemos são o catalizador para a nossa própria felicidade ou destruição.

As amizades, especialmente na juventude, são as influências mais poderosas sobre nós. Nenhum jovem vai atrás de pornografia sozinho. Nenhum jovem decide sozinho, que encherá seus pulmões com algum carcinógeno. Nenhum jovem decide ingerir bebida alcoólica sozinho.

Eles geralmente são “apresentados” a essas situações por amigos, e na maioria dos casos, enganados a tomar decisões ruins que podem levar a hábitos ou a vícios.

Em minha juventude, quantos jovens de 13 anos inocentemente iam para uma “festa do pijama,” em casas onde os pais permitiam que as crianças tivessem acesso a canais com conteúdo pornográfico?

Mas atualmente, quantas crianças de entre 10 e 12 anos podem mostrar a seus amigos animações pornográficas somente com alguns cliques em seus celulares?

A chave para evitar essas situações, é ajudar a juventude a escolher boas amizades. Os amigos que eles escolhem, certamente ditarão o caminho que escolherão na vida.

A maior parte da dor emocional, mental e espiritual associada a essa geração será um resultado direto dos amigos que eles escolherem.

mídias sociais

As redes sociais não são as culpadas. A mídia tradicional em geral não é culpada. A Música não é a culpada. Sim, esses veículos de comunicação podem serem horríveis e imorais.

Mas a verdadeira culpa está na qualidade das amizades que escolhemos, tanto nas mídias sociais, quanto na vida real.

Escolha bons amigos nas mídias sociais e você terá bons feeds de notícia. Escolha bons amigos na vida real e você provavelmente ficará longe de filmes, programas de televisão e música ruins.

Se você escutar a um cantor em específico, durante muito tempo, aquele cantor se tornará o seu melhor amigo e mentor.

Se você assistir horas e horas de um reality show ruim, aqueles atores e atrizes se tornarão seus melhores amigos. Você começará a falar como eles, a pensar como eles e a agir como eles.

Sem dúvida, o futuro da alma de nossas crianças e a integridade de suas futuras famílias depende disso, para mim, essa é a maior tentação que a juventude enfrentará.

Todo mundo quer um amigo e a tentação será flutuar ao redor de pessoas que são divertidas e animadas, mas não fazem boas escolhas.

Se você for agir, aja de acordo com o que o patriarca da minha estaca me implorou que eu fizesse e “escolha seus amigos com sabedoria.”

Isso fará toda a diferença na sua vida.

Fonte: Greg Trimble

O post A mais perigosa tentação que nossa juventude enfrenta apareceu primeiro em Portal SUD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *