Como homem que perseguiu a Igreja por 26 anos voltou para o evangelho

Como missionário em 1984, Steve “Dusty” Smith nunca imaginaria que ele se tornaria “o pior tipo de antimórmon”. Mas apenas cinco anos depois de sair para sua missão, Dusty lutaria contra a Igreja que ele um dia amou.

Antes de sua missão, Dusty construiu uma história de fé ao encontrar Deus novamente após a morte trágica de um amigo da família, descobriu um exemplar esquecido do Livro de Mórmon e se tornou o único membro de sua família a ser batizado.

Depois que ele recebeu seu chamado, no entanto, a solidão que ele sentiu no CTM, pois ele tinha 24 anos e estava no meio de jovens de 19-21 anos, quase o levou a voltar para casa. Foi assim até que ele ligou para a sede da Igreja.

Eu disse: “se ninguém se importa se eu estou aqui, eu estou indo para casa”. Esperei alguns segundos e uma voz vinda do telefone diz: “Élder, se ninguém mais se importa com você servindo uma missão, eu me importo. Aqui é L. Tom Perry”. E então conversamos, e no final da conversa, ele disse: “você se importa se eu me corresponder com você?” O Élder Perry se correspondeu comigo durante a minha missão.

Corresponder-se com o Élder Perry ajudou-o a completar uma missão em Honduras, apesar de ter pouco apoio de seus pais.

No entanto, depois de encontrar os manifestantes contra a Igreja chamados Hill Cumorah Pageant não muito tempo depois de voltar para casa, Dusty decidiu que precisava estudar materiais antimórmon a fim de melhor debater estes temas.

Em 1989, Dusty pediu que seus registros fossem removidos da Igreja. Ele tinha lido o material contra a Igreja e descobriu que ele agora tinha perguntas às quais ele sentia que ninguém poderia responder. E então pelos 26 anos seguintes, Dusty lutou contra a Igreja pela qual ele havia sacrificado tudo.

“Eu ia para as igrejas e dava aulas contra a igreja ‘Mórmon’, diz Dusty. “Eu escreveria artigos. Eu parava os missionários que estavam andando de bicicleta e dizia-lhes que eles estavam seguindo falsos deuses e falsos profetas. Eu era o pior tipo de antimórmon”.

Durante este tempo, em 2009 Dusty contraiu gripe suína. Ele ficou tão doente que sentiu que estava em seu leito de morte quando seu filho trouxe as últimas pessoas que ele queria ver: dois missionários santos dos últimos dias.

“Eu disse: ‘saia da minha casa’, diz Dusty. Eles disseram: ‘podemos dar-lhe uma bênção?’ Eu disse: ‘depois vocês sairão da minha casa?” E eles disseram: ‘Sim’. Então eu disse: “Então, tudo bem”.

Imediatamente após a bênção, pela primeira vez em dias, Dusty foi capaz de se sentar e se movimentar pela casa.

Embora ele tenha sido enfático sobre os missionários saírem de sua casa e jamais retornarem, esse momento começou uma reação em cadeia de acontecimentos que acabou por levar Dusty de volta à Igreja.

Fonte: LDS Living

Relacionado:

Devo responder aos comentários em sites antimórmon?

 

The post Como homem que perseguiu a Igreja por 26 anos voltou para o evangelho appeared first on maisfe.org.

O post Como homem que perseguiu a Igreja por 26 anos voltou para o evangelho apareceu primeiro em Portal SUD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *