“Os seus ancestrais estão cuidando de você” –  A mensagem que esse jovem precisava depois de se converter à Igreja

No dia em que Sai Maddali foi batizado na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, ele emergiu das águas do batismo com sentimentos de paz e conforto.

Então veio a culpa e as dúvidas, como se entrar para uma nova religião fosse de alguma maneira, renunciar às suas raízes de cultura Indiana e Hindu.

Sem saber da confusão interior de um recém converso, o bispo de Maddali compartilhou algumas palavras que não só o acalmaram como o ajudaram a ter forças no anos que se seguiram.

“Sai, eu sei que é muito difícil para você. Também estou muito orgulhoso de você,” disse o bispo. “Enquanto você estava sendo batizado, senti uma forte presença. Eu sei que os seus ancestrais estão te observando com felicidade. Eles estão tão orgulhosos também. Existem tanto trabalho de história da família esperando por você e eu testifico que a sua família está te observando… eles estão cuidando de você e estão felizes de saber que eles podem te ter novamente.”

De maneira não tradicional, a decisão de Maddali de se tornar um Santo dos Últimos Dias permitiu que ele se tornasse um pioneiro moderno e acendesse um novo caminho de fé para a sua família e outros conversos não-tradicionais. Às vezes a jornada tem sido difícil, mesmo depois de sua conversão, mas aos 20 anos e estudante da Universidade Brigham Young não se arrepende e está determinado a perseverar.

“Frequentemente, sinto o fardo de representar a Igreja em círculos onde ninguém teve contato com membros antes. Às vezes sinto que alguns aspectos que me fazem um pioneiro moderno, me distanciam da tradicional experiência da Igreja,” disse Maddali. “No entanto, esse sentimento é um testemunho de força de fé para mim. Eu sei que eu tenho um propósito no reino de Deus e é muito poderoso poder confiar nesse conhecimento.”

Uma nova provação

Os pais de Maddali imigraram da Índia para os Estados Unidos e construíram seu lar na Georgia, onde eles criaram seu filho dentro da religião Hindu.

Depois de se formar no ensino médio, Maddali recebeu uma bolsa de estudos para a Universidade Estadual da Georgia em Atlanta. Durante a orientação de novos alunos, ele conheceu uma garota membro da Igreja. Eles se tornaram amigos.

 Essa amiga convidou Maddali para ir a um domingo na Igreja, e ele foi. Mais tarde, ela o apresentou para uma dupla de missionárias.

“Olhando para trás, não sei se eu concordei com desejo genuíno de aprender ou se eu simplesmente fui muito legal para dizer não,” disse Maddali. “Mas foi uma ótima decisão aceitar as lições.”

No primeiro encontro, ele aprendeu sobre o plano de salvação pela primeira vez e sentiu conforto em descobrir que ele era um filho de Deus, disse Maddali.

Outro momento memorável foi quando Maddali encontrou com as missionárias no templo de Atlanta Georgia, onde elas o ensinaram sobre o propósito do templo e sobre a natureza eterna das famílias. Como alguém que não tem uma cultura cristã, que viveu a maior parte de sua vida, longe da família, ele sentiu “uma conexão espiritual muito forte com os templo e a importância deles,” disse Maddali.

A decisão

Maddali leu as escrituras e orou mas não considerou realmente ser batizado, porque ele não tinha recebido nenhum sinal miraculoso de Deus. Mas enquanto ele refletia em suas experiências, ele percebeu que Deus já havia Se manifestado de maneiras simples.

“Eu tinha chegado à conclusão de que eu queria ser batizado, não por influências comuns, mas por orar e ler as escrituras,” disse Maddali. “Logo depois de cair a ficha, pensei, ‘Como vou contar para meus amigos e minha família?’”

Logo ele compartilhou a notícia com seus amigos enquanto caminhavam. Eles falaram com as missionárias e estabeleceram uma data para o batismo.

Contar para os pais foi difícil. Eles estavam desapontados e sentiram como se seu próprio filho estivesse rejeitando a herança da família. Isso fez com que Maddali questionasse seus sentimentos sobre se juntar a Igreja.

Enquanto lutava para saber o que fazer, Maddali encontrou conforto espiritual ao ler as palavras do Salvador no Livro de Mórmon:

E novamente vos digo que vos deveis arrepender e ser batizados em meu nome e tornar-vos como uma criancinha, ou não podereis, de modo algum, herdar o reino de Deus. Em verdade, em verdade vos digo que esta é minha doutrina e os que edificam sobre isto edificam sobre minha rocha; e as portas do inferno não prevalecerão contra eles.” (3 Néfi 11:38-39).

“Logo depois decidi que deveria ser batizado”, disse Maddali, “não importava as complicadas perguntas que eu ainda tinha em minha mente.”

Depois de seu batismo, e com as oportunas palavras do bispo, Maddali recebeu o dom do Espírito Santo e por volta de 150 membros ergueram as mãos para demonstrar apoio ao mais novo membro. Maddali se sentiu amado e bem vindo em sua nova família.

universidade mórmon

Dois anos depois

Maddali fará seu segundo aniversário de batismo em Dezembro. No último um ano e meio, ele se transferiu para a BYU e continua a crescer em sua nova fé.

Um ano depois de se juntar a Igreja, todas as novas metas para o Ano Novo giravam em torno de seguir os ensinamentos de Cristo.”

Além de receber o sacerdócio, Maddali serviu como missionário de ala e como professor de princípios do evangelho. Ele também fez batismos pelos mortos e fez sua investidura no templo.

Apesar de estarem de coração partido, os pais de Maddali aceitaram a sua religião. Um momento decisivo aconteceu quando a mãe dele, conheceu outro membro da da Igreja na orientação para os pais na BYU.

“Ela ficou impressionada em quão positivos e fiéis aqueles membros eram,” disse Maddali. “ No entanto, não espero que meus pais se filiem a igreja, a influência deles em minha vida como  religiosos Hindu foi essencial para eu me filiar.”

Muitos têm criticado os pais de Maddalo por falhar ao ensiná-lo sobre os valores Hindus e os culpam por ele “deixar” a cultura indiana e a herança em que ele foi criado. Outros dizem que Maddali se filiou à Igreja por causa de uma garota, e eles o questionam por se filiar a uma igreja com visões diferentes do mundo,” ele disse.

Esses são alguns desafios que ele tem encarado, com pessoas que não são da Igreja.

Dentro da Igreja, os conhecimentos indianos e Hindus de Maddali têm pouco em comum com os membros tradicionais de Utah que serviram missão, que fazem grandes reuniões familiares durante os feriados, ou que os pais podem dar bênçãos nos filhos, sem mencionar os diferentes gostos para música e vestimenta, ele disse.

“Ser um converso me fez questionar se eu tinha as mesmas bênçãos que outros membros tinham”, disse Maddali. Acredito que a problema maior dessas experiências é o sentimento de ser sozinho como um converso.”

Mas Maddali diz que muitos maravilhos membros da Igreja o incluíram em diferentes atividades e o convidaram para as suas casas. E o que mais importa é que ele tem sentido o amor e a compreensão do Salvador.

“O que realmente fez a diferença em como me sinto, foi olhar para o Salvador,” disse Maddali. “Eu precisava me lembrar que eu estava tentando ser como Ele, não como outros membros da Igreja.”

Na BYU, Maddali se tornou o líder do Clube de Conversos, uma organização criada para discutir preocupações e sobre ser converso na Igreja. Esse clube permitiu que ele planejasse jantares e convidasse pessoas que não são de família tradicionais na Igreja. Ele frequentemente, fala para outros recém conversos que o mais importante é focar na esperança.

“Encontre algo que permita que você mantenha a esperança todos os dias. Para mim, é ler as escrituras diariamente,” disse Maddali. “Uma vez que você se sente fortalecido e com esperança, seja a pessoa que você sabe que a sua cultura precisa para ajudar outros a sentirem que fazem parte do grupo. Somos filhos de Deus, então definitivamente temos a capacidade para fazer isso. Existem milhões de pioneiros que ainda estão se juntando as nossas comunidades, que tem feito sacrifícios incríveis para se juntar a nós; Se podemos, é nosso dever ajudá-los.”

Não importa qual é a origem de um converso, dê espaço a eles – essa é a lição que Maddali espera que as pessoas aprendam com a sua história.

“Todos viemos de diferentes caminhos cheios de sacrifício, mas especialmente para nossos conversos, há uma grande jornada de contínua adaptação ao estilo de vida único que há dentro da igreja,”disse Maddali. “Ser um converso vai muito mais além do que o nosso batismo.”

Fonte: LDSLiving

Relacionado:

Família da Coreia do Norte foge do país e converte-se ao evangelho

O post “Os seus ancestrais estão cuidando de você” –  A mensagem que esse jovem precisava depois de se converter à Igreja apareceu primeiro em Portal SUD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *