Vem e Segue-me – Lição 16 – “Onde está, ó inferno, a tua vitória?” – Páscoa

Para apoiar o novo programa de aprendizado da Igreja – “Vem, e Segue-me” – estamos publicando semanalmente comentários sobre a lição designada. Neste ano somos convidados a estudar o Novo Testamento. Na lição de hoje (designação de 15 a 21 de abril) estudaremos v[arias passagens relacionadas a Páscoa.

Acesse a lição aqui.

Que maravilhosa oportunidade temos para estudar sobre os eventos gloriosos da Páscoa.

Durante a última semana da vida do Salvador, a maioria dos judeus estava participando das tradições da Páscoa. Eles preparavam alimentos, entoavam cânticos e se reuniam para relembrar a libertação da casa de Israel da escravidão entre os egípcios. As famílias escutavam a história do anjo destruidor que passou pelas casas dos seus antepassados, que haviam marcado suas portas com sangue de cordeiro. Em meio a essas celebrações tão ricas com o simbolismo da libertação, relativamente poucos estavam cientes de que Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus, estava para libertá-los da escravidão do pecado e da morte — por meio de Seu sofrimento, Sua morte e Sua Ressurreição. Mesmo assim, havia aqueles que reconheciam Jesus como o seu Messias prometido, seu Libertador eterno. Daquele dia em diante, os discípulos de Jesus Cristo prestam testemunho a todo o mundo “que Cristo morreu por nossos pecados (…), e que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia” (1 Coríntios 15:3–4).

Jesus Cristo tem poder para nos ajudar a vencer o pecado, a morte, as tribulações e as fraquezas.

Uma forma de se concentrar durante esta semana nas bênçãos da Expiação do Salvador é dispender algum tempo diariamente lendo a respeito da última semana da vida de Jesus (a seguir está uma sugestão de agenda de leitura). O que você encontra nesses capítulos que pode ajudá-lo a sentir o amor do Salvador? O que você pode aprender a respeito de Seu poder para livrá-lo do pecado e da morte? O que você aprende a respeito de perseverar nas provações e vencer as fraquezas? De que maneira você está exercendo fé em Seu poder de livramento?

  • Domingo: Entrada triunfal em Jerusalém (Mateus 21:6–11)
  • Segunda-feira: Purificação do templo (Mateus 21:12–16)
  • Terça-feira: Pregação em Jerusalém (Mateus 21–23)
  • Quarta-feira: Continuação da pregação (Mateus 24–25)
  • Quinta-feira: A Páscoa e o sofrimento de Cristo no Jardim do Getsêmani (Mateus 26)
  • Sexta-feira: Julgamento, Crucificação e sepultamento (Mateus 27:1–61)
  • Sábado: O corpo de Cristo repousa na tumba (Mateus 27:62–66) enquanto Seu espírito ministra no mundo espiritual (D&C 138)
  • Domingo: A aparição do Cristo ressurreto (Mateus 28:1–10)

Muitas testemunhas testificam da Ressurreição de Jesus Cristo.

Imagine como teria sido para os discípulos observarem Jesus sendo escarnecido, maltratado e crucificado. Eles tinham sido testemunhas de Seu poder, sentido a verdade de Seus ensinamentos e tido fé de que Ele era o Filho de Deus. Testemunhar Sua morte pode ter sido uma prova para a fé de muitos deles, mas em pouco tempo eles se tornariam testemunhas do grande milagre de Sua Ressurreição.

O que podemos aprender com o relato daqueles que testemunharam o Salvador ressurreto? Assinale ou anote cada experiência dos participantes em Mateus 28:1–10; Lucas 24:13–35; João 20:19–29 e 1 Coríntios 15:1–8, 55 (Observe que outras testemunhas do Cristo ressurreto podem ser encontradas em 3 Néfi 11; Mórmon 1:15; Éter 12:38–39; Doutrina e Convênios 76:19–24; 110:1–10 e Joseph Smith—História 1:15–17.) Nesses relatos, o que fortaleceu sua fé na Ressurreição literal do Senhor? Após a Ressurreição do Salvador, outras pessoas ressuscitaram e apareceram a muitos (ver Mateus 27:52–53; 3 Néfi 23:9). Por que você acha importante que isso tenha sido registrado tanto na Bíblia como no Livro de Mórmon?

Jesus Cristo me concede paz e alegria.

Alisa, a filha do élder Paul V. Johnson, que sofreu de um câncer terminal e passou por muitas cirurgias, exemplificou a “viva esperança” que Pedro descreveu em 1 Pedro 1:3–11. O élder Johnson compartilhou uma carta que Alisa escreveu na época da Páscoa, pouco antes de falecer: “Páscoa é uma lembrança de tudo o que espero para mim. Que algum dia estarei completamente curada. Algum dia não terei nenhuma peça de metal ou plástico dentro de mim. Algum dia meu coração ficará livre do temor e minha mente livre de ansiedades. (…) Sou muito grata por acreditar verdadeiramente em uma bela vida após a morte” (“Não haverá mais morte”, A Liahona, maio de 2016, p. 121).

Que palavras ou frases em 1 Pedro 1:3–11 dão a você esperança graças a Jesus Cristo? Quando foi que você sentiu essa esperança? Como você pode compartilhar sua esperança em Cristo com aqueles a quem você ama?

O post Vem e Segue-me – Lição 16 – “Onde está, ó inferno, a tua vitória?” – Páscoa apareceu primeiro em Portal SUD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *