Uma conversa sobre namoro, casamento e outros assuntos com o Élder Holland e outras autoridades gerais

No dia 14 de fevereiro, durante um devocional de perguntas e respostas para jovens adultos do Texas, o Élder Holland do Quórum dos Doze Apóstolos, o Élder Ruben V. Alliaud, segundo conselheiro da Área América do Norte Sudoeste, a Irmã Michelle Craig, primeira conselheira na presidência geral das Moças e o Bispo L. Todd Budge, segundo conselheiro no Bispado Presidente advertiram, fizeram convites e deram conselhos que se aplicam a todos os jovens no mundo.

“Você deve deixar este devocional acreditando no amor de Deus por você. Essa é minha mensagem e meu testemunho”, disse o Élder Holland. “Nesta vida e na próxima, você desfrutará do amor e da proteção de um Pai divino”.

Os líderes responderam a várias perguntas que abordam desde namoro e encontrar um cônjuge, a preparação para a Segunda Vinda, questões LGBT e sentir-se confortável na Igreja.

Casamento e namoro

Como o devocional foi realizado no dia 14 de fevereiro, o Dia dos Namorados no país é um dia conhecido por celebrar o amor e o afeto, muitas das perguntas abordaram temas como namoro e casamento.

A primeira pergunta lida pelo Élder Holland falou sobre a confusão em que o mundo se encontra e se os jovens santos dos últimos dias são “apressados” para se casar.

O Élder Holland disse que os santos dos últimos dias não deveriam ter pressa ao tomar uma decisão tão importante.

“Não seja imprudente. Por exemplo, não sinta que precisa se casar 30 segundos depois de voltar da missão. Faça do casamento a alta prioridade que deveria ser, mas permita que seu Pai Celestial conduza você ao parceiro certo no momento certo de sua vida”, ele disse.

Ele explicou que um dos motivos que a Igreja destaca o casamento é que a importância do casamento e da família em todo o mundo tem sido diminuída nas últimas décadas.

“O Senhor espera que reverenciemos o casamento, a família e a criação de filhos”, disse o apóstolo.

No entanto, todo mundo vai ter horários diferentes. Não tenha medo de se casar, ele aconselhou, mesmo em tempos tumultuosos.

“Não aceite conselhos sobre seus medos sobre namoro e casamento. Aconselhe-se com sua fé e com os impulsos espirituais que você tem, os bons sentimentos que você desfruta quando está namorando. Essas são as coisas em que pode confiar”.

Antes de ser chamado como Autoridade Geral, o Bispo Budge serviu como presidente de estaca de jovens adultos solteiros.

Ele costumava perguntar: “Você já conheceu uma pessoa casada que não era feliz?” Inevitavelmente, eles responderiam que sim. Em seguida, ele perguntava “Você já conheceu uma pessoa solteira que não era feliz?” E inevitavelmente a resposta também era sim.

O Bispo Budge disse aos jovens que o estado civil não é o que determina a felicidade, ele também compartilhou uma escritura em Mosias 2:41 e acrescentou: “Além disso, desejo que vocês considerem a situação abençoada e feliz daqueles que guardam os mandamentos de Deus”.

“Quando nosso foco está em Cristo e Seu evangelho, podemos encontrar alegria em qualquer circunstância e, portanto, quer sejamos casados ​​ou solteiros, podemos ser felizes, ter uma vida plena e sentir alegria e paz”, disse o Bispo Budge.

Sobre a pergunta “como faço para reconhecer a pessoa com quem devo me casar?” A irmã Craig respondeu que é uma decisão tomada ao longo do caminho e através da paz que se sente ao longo do namoro.

Fonte: Church News

Ela também sugeriu fazer duas perguntas de reflexão. Primeira, “essa pessoa faz você querer ser melhor?” E, segunda, “é alguém que ajudará você a fazer e cumprir convênios sagrados?”

Ao responder uma pergunta sobre qual traço ideal uma pessoa deve tentar desenvolver antes do casamento, o que o Élder Holland chamou de “pergunta formidável”, o Élder Alliaud voltou-se para a escritura em Moisés 5.

No versículo 10, Adão diz: “Bendito seja o nome de Deus, pois, devido a minha transgressão, meus olhos estão abertos”. No próximo versículo, Eva diz quase a mesma coisa, mas usa uma linguagem inclusiva, “não fosse por nossa transgressão”.

O processo de aprender a pensar como “nós” e “nosso” em vez de “eu” e “meu” é uma parte importante para nos tornarmos “uma só carne”, disse o Élder Alliaud.

Questões LGBT

Uma das perguntas feitas aos líderes foi sobre que conselho eles dariam a alguém que não sente que pertence à Igreja porque se sente atraído por homens e mulheres.

O Bispo Budge disse que se os santos dos últimos dias realmente vivessem em uma sociedade de Sião, todas as alas seriam abertas, tolerantes e amorosas, mas ele sabe que nem sempre é esse o caso.

Seu conselho seria ecoar as palavras do Salvador para perdoar aqueles que os ofendem.

Certa vez, o Bispo Budge ouviu o Élder D. Todd Christofferson, do Quórum dos Doze Apóstolos, responder a uma pergunta semelhante sobre os santos dos últimos dias que fazem parte da comunidade LGBT ao relatar a experiência de Néfi no Livro de Mórmon.

Quando Leí diz a seus filhos que eles precisam ir para o deserto, as escrituras dizem que Néfi orou e o Senhor abrandou seu coração. Seus irmãos, por outro lado, murmuraram dizendo que era algo difícil a se fazer. “Porém, que não sou eu quem o pede, mas é uma ordem do Senhor” (1 Néfi 3:5).

“É uma coisa difícil que o Senhor exige, especialmente se você tem essa atração e esses sentimentos. Mas confie no Senhor e guarde Seus mandamentos, e você sentirá a alegria e a felicidade que Ele prometeu.”

O Élder Holland explicou que a Igreja não faz julgamentos sobre sentimentos ou atração, mas sim sobre o comportamento e o que a pessoa realmente faz.

“Não fazemos um julgamento eclesiástico ou uma decisão disciplinar com base no que alguém sente ou nas atrações que tem. O que pedimos é, por favor, não aja contrário aos mandamentos, nem aos convênios, nem aos ensinamentos do Senhor e dos profetas. Por favor, não aja com atrações que o afastariam do Espírito e do corpo da Igreja”.

Aqueles que estão dispostos a viver de acordo com os mandamentos do Senhor serão capazes de possuir uma recomendação para o templo, receber os convênios do templo, ter um chamado e desfrutar de todas as bênçãos do evangelho.

“Mas é preciso esforço do lado do comportamento”, disse o Élder Holland. “Por meio desse esforço, vamos esperar com você, chorar com você e ser pacientes juntos enquanto abençoamos uns aos outros com a verdadeira irmandade.”

A resposta é amor

Em resposta a uma pessoa que perguntou como lidar com amigos que perderam seu testemunho, o Élder Alliaud disse que a resposta não é julgá-los, mas amá-los.

Ao citar o Presidente Boyd K. Packer, o Élder Alliaud disse que é importante identificar as preocupações e dificuldades das pessoas para ajudá-las a compreender a doutrina da Igreja.

“Então você pode começar a orar sobre essas coisas e pedir ajuda do céu para ajudá-los a voltar”, disse o Élder Alliaud. Ele também prometeu que, com o tempo, as pessoas teriam suas orações respondidas.

Muitas pessoas perguntaram sobre como ser fiel ao evangelho, apesar da oposição e de tempos tão turbulentos. A irmã Craig deu testemunho de que, embora haja o mal no mundo, também existe o bem.

Fonte Church News

“Deus está nos pedindo para sermos o sal, o fermento e a luz em um mundo cada vez mais escuro e espalhar Seu amor e Sua influência. Ame a Deus e ame os outros no mundo, lembrando-se de que Deus ama o mundo tanto que deu Seu Filho Jesus Cristo.”

O Bispo Budge compartilhou João 15:12-14. “O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei. Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a sua vida pelos seus amigos. Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando”.

Jesus está enviando um “pedido de amizade”, explicou o Bispo Budge. “Como aceitamos o pedido? Guardando Seus mandamentos”.

O Bispo Budge disse que orar, dar ouvidos à palavra de Deus e buscar a vontade do Senhor prover proteção contra as tentações.

“Eu apenas testifico que Deus é um Deus de amor, que Ele ama cada um de vocês e tem um plano para cada um de vocês.”

A obra da vida é, por meio da oração e da leitura das escrituras, descobrir o que o Senhor deseja e então fazer o que Ele pede. “E se fizermos isso, desenvolveremos esse relacionamento com Deus e com Seu Filho Jesus Cristo, que nos dá a força para fazer tudo o que precisamos fazer e superar tudo o que precisamos para superar”, ele disse.

O Élder Holland disse que uma das perguntas que “o esmagou” foi sobre como sentir o amor de Deus apesar de não se sentir amado por um pai terreno.

O apóstolo disse que algumas pessoas lêem o Antigo Testamento e pensam que vêem a justiça de Deus. Outros olham para o céu e ficam impressionados com Seu poder.

“Uma coisa que eles não sabiam e ainda não compreendiam totalmente era o Seu amor. Então, Ele enviou Seu Filho para dizer, ‘mostre a eles quem eu realmente sou. Mostre a eles como eu amo’”.

O Élder Holland encerrou a reunião com seu testemunho do amor do Pai Celestial por Seus filhos.

Ele disse que era um pai mortal, limitado e inadequado: “Ainda assim, não há nada que eu não faria por meus filhosNão há rio que eu não nadaria, nenhuma montanha que eu não escalaria, nenhum terror que eu não enfrentaria ou besta que eu não lutaria pelos meus filhos”.

Se o “velho e comum Jeff Holland” pode fazer e sentir isso, disse o Élder Holland, “o que isso significa sobre nosso Pai Celestial e Seu amor, o que Ele faria e o que já fez, especialmente por meio de Seu Filho Amado , Seu agente a quem Ele enviou para dizer ‘diga-lhes o quanto eu os amo. Mostre a eles como viver juntos no amor’”.

“Presto testemunho desse tipo de Deus. E eu presto testemunho desse tipo de Salvador” encerrou o apóstolo.

Fonte: Church News

O post Uma conversa sobre namoro, casamento e outros assuntos com o Élder Holland e outras autoridades gerais apareceu primeiro em Portal SUD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *